Pages

domingo, dezembro 23, 2012

Estudo: Culto Doméstico


O mesmo que adoração a Deus no lar. Deus deseja que, em cada lar, haja um ambiente espiritual que honre e glorifique o Seu nome. Só a igreja local não basta para atender às necessidades espirituais da família. Deus quer estar presente no lar. Vemos, no início da Bíblia, a importância do culto doméstico. O Senhor Deus visitava, falava e orientava o primeiro casal em sua casa, ou seja, no Jardim onde moravam. Enquanto eles obedeceram à voz de Deus, havia um culto maravilhoso no lar edênico. Quando desobedeceram, Satanás prevaleceu. Hoje acontece a mesma coisa: com Deus no lar, há harmonia, paz, amor. Se Deus estiver fora do lar, o resultado será falta de amor, ciúmes, contendas , brigas, desunião. Com Deus no lar, a família é feliz e realizada. 
A adoração a Deus no lar precisa ser valorizada. A avalanche de pecados que são jogados contra os lares, especialmente através da mídia, só pode ser detida com a família unida em torno do altar da adoração a Deus. Portanto, desligar altares que promovem o pecado e ligar o altar de adoração é a medida mais salutar para a vitória da família.
A família cristã passa por lutas e tribulações, como todos, porém aprende a depositar diante do trono do Senhor suas dificuldades e obtém excelentes resultados de vitórias alcançadas pela fé e pela oração concorde. Os capítulos 6 e 11 de Deuteronômio e os Salmos 112, 127, 128 trazem referências acerca da vontade de Deus em que haja adoração e ensino da Sua Palavra nos lares, bem como as conseqüências de tal procedimento. A bênção que os pais proferem para os filhos tem uma significância sem igual no desenrolar de suas existências. Assim como os pais têm o dever de alimentar os corpos físicos de seus filhos e de lhes prover educação e oportunidade de estudos, também têm a obrigação de alimentar suas almas, por meio do ensino cristão. 
O lar deve transmitir um exemplo vivo e eficaz do verdadeiro cristianismo. Os filhos precisam aprender a orar, a entregar todos os seus problemas, dificuldades, necessidades, a Deus, em sincera devoção. Devem aprender também a confiar em Deus, na Sua provisão, na Sua providência, no Seu grande amor e cuidado eterno. Para que a fé seja cultivada e avivada em família, é vital que ela se reúna para adorar, entoar hinos de louvores, orar e aprender a vontade de Deus contida em Sua Palavra revelada. 
Dentre as qualidades referentes à mulher virtuosa, descrita em Pv 31:10-31, está a de proporcionar à sua família um ambiente espiritual, uma herança de amor e zelo ligados à pessoa de Deus. Os maiores desafios ao culto familiar giram em torno do tempo e da melhor fórmula para realizá-lo. Com paciência e perseverança, o Espírito do Senhor conduzirá os pais neste valioso empreendimento. Se o pai, o cabeça da família, não puder ou não quiser realizar o culto doméstico, caberá à mulher tomar tal iniciativa, ao exemplo de Eunice, a qual, sendo judia e casada com um grego, ensinou ao seu filho Timóteo as Sagradas Escrituras, 2 Tm 1:5; 3:15. Dentre as tarefas que cabem à mulher como adjutora, talvez esta seja a mais importante e mais sagrada: transmitir aos filhos o conhecimento de Deus e o valor do culto ao Seu nome.

Por Alaid S. Schimidt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário